sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Um buraco sem fundo cheio de palavras

Já faz tempo que eu não apareço por aqui. Mea culpa. É verdade. Segundo minha irmã, isso é porque eu ando mais feliz ultimamente. O que acarreta na falta de assuntos sobre os quais escrever. Ela diz que, depois que algumas coisas deram certo na minha vida, meus textos não são mais tão críticos ou irônicos como antigamente.

Pode até ser que ela tenha razão: quando estamos mais felizes, a tendência é termos um outro olhar sobre o mundo, não nos importamos mais com coisas pequenas e acreditamos mais na bondade das pessoas. Isso é errado, pois coisas ruins não param de acontecer e o que falta não são os assuntos, mas sim a minha disposição para enfrentar a realidade quando pareço estar num sonho sem hora para acordar.

Nesses dois meses que se passaram após meu último post, eu quis falar da hipocrisia da invasão do Complexo do Alemão (por que esperar uma copa para fazer o que já devia ter sido feito há séculos? Será que o que o Governo prometeu para os PMs foi melhor do que rendia os acertos com os traficas??? E que publicidade para o Tropa de Elite, heim?!); quis falar sobre o aumento da violência em Belém; sobre o nosso trânsito caótico e como os vizinhos infernizam a vida alheia. No entanto, quando começo a me indignar com essas coisas, lembro de como o amor é lindo e simplesmente deixo a nuvem negra passar...

Não que eu esteja me tornando uma alienada. Pretendo ainda cultivar o meu senso crítico, mesmo que ele esteja um tanto quanto cor de rosa atualmente. Acontece que o que me inspira neste momento não tem nada do tom satírico que sempre deixou meus textos mais interessantes para uma cara leitora sangue do meu sangue.

Deixo um pouco a ironia de lado para priorizar um lado meu que sempre existiu apesar de ter estado um tanto quanto esquecido debaixo da rudeza do meu estilo: o romantismo. Muita gente reclama que eu não tenho sensibilidade... eu não consigo imaginar uma pessoa mais sensível do que eu! Enfim, cada um com seus pontos de vista...

Vou aproveitar o clima de fim de ano, quando as pessoas costumam estar mais tolerantes, e vou postar, ainda que morta de vergonha, esse texto piegas e muito sem graça. Tenho muito mais do que isso para dizer, porém as palavras existem melhor aqui dentro, assim mesmo, embaralhadas, aleatórias, sem lógica nenhuma... E para não dizer que eu abandonei meus poucos e amados leitores, mesmo que seja só a minha irmã (rsrsr), deixo aqui os meus mais sinceros votos de boas festas, paz e muito amor no coração de todos!!

=]

5 comentários:

Hugo Pessoa de Baraúna disse...

Tens um leitor além da tua irmã. Gosto dos teus textos. Como só leio coisas técnicas, de negócios, tecnologia, empresas, nerds stuff, etc... é bom ler teus texto, algo mais "literário", ou totalmente perpendicular ao meu dia a dia.

Continue escrevendo. ;)

Jenn__@ disse...

"cara leitora sangue do meu sangue" sou eu???? rsrsrs, bom, cara autora sangue do meu sangue, adoro ver vc assim, mesmo q os textos sejam menos interessantes...hehehe =]

Interferência disse...

Todo mundo sumindo, eu inclusive. Mas não por motivos tão nobres. Quer dizer, eu acho. São considerações muito subjetivas, rs. Mas vc escreve bem, é romântica (dia desse tava lembrando do seu tcc), tem no mínimo 3 leitores e boas festas pra vc também!

Flavinha disse...

4 Leitores \o/

Thiago Batista disse...

Então desejo as boas vindas à sua mais nova fase de escritora, hehehe. Que dê bons frutos!
Abraços!