segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Fim de férias

Uma tarde tediosa de domingo leva o ser humano aos extremos, ainda mais em fim de férias. Não aguentei a pressão das baladas de verão e decidi ficar em casa no último final de semana, principalmente porque já era agosto. O quente e supersticioso mês de agosto! Me despedi dos amigos que pegaram a estrada e me preparei para uma Belém deserta e silenciosa.

Aluguei filmes, abasteci a dispensa com "porcaritos" de todas as marcas e reuni todos os travesseiros da casa para fazer do meu universo particular o mais confortável possível. Infelizmente, não tinha filmes suficientes para todas as horas úteis do meu dia. Ainda assim, reli os livros da minha prateleira, folhiei as revistas velhas, ouvi todos os meus discos... E o tempo permanecia estático. Não se sente sono quando se precisa dele!

Muito calor. O sol ainda alto. Decidi sair e apreciar o domingo. Dei uma de paraense e fui tomar sorvete ao pôr-do-sol na Estação das Docas. Encontrei muitos visitantes e uma cena várias vezes repetida: fim de tarde à beira do Rio Guamá.

Sentei na orla me sentindo desconfortável por estar só entre tantos casais, famílias e grupos de turistas. Percebi, então, ao meu lado, um rapaz simpático, sozinho como eu. Caminhava em minha direção. "Oba! Companhia!", pensei. Ele parou e sorriu. Vi que olhava para um outro rapaz, atrás de mim, que se aproximou e ganhou dele um beijo na BOCA! Realmente, eu era a única panela sem tampa naquele lugar.

Decidi ir embora, mas parei em uma loja de departamentos no meio do caminho. Comecei pela seção de calçados. Experimentar sapatos extravagantes pode ser bastante divertido. Depois: perfumaria, confecções, lingerie, seção infantil, brinquedos, eletroeletrônicos e, quando estava em cama, mesa e banho, reparei que o segurança me olhava enquanto falava no walk talk. Eu já tinha percorrido todos os departamentos e estava usando uma bolsa bem grande... "Melhor não arriscar a minha sorte".

Me aproximei, então, da saída e, de repente, ouvi um vigoroso "Psiu!". Olhei para trás: o segurança. "PQP, era o que me faltava!". Mas, para meu alívio, ele só queria ligar a escada rolante antes que eu descesse os degraus. "Ufa!".

No caminho de volta, peguei o trânsito mais tranquilo do que em madrugada de segunda-feira. Por um breve instante, imaginei o movimento na Br-316 e senti inveja dos meus amigos veranistas. Encerrei o dia com x-burger, coca-cola e Fantástico... Típico domingo.

Enfim, o mês de agosto!

3 comentários:

Matheus Pereira disse...

Eu fiz a mesma opção nesse último final de semana. Fiquei no conforto do lar, aluguei uns filmes e conversei comigo mesmo por horas e horas. Sempre é bom. Sempre vale a pena. Na solidão na qual vc se encontrou na Estação das Docas, eu já estive. Há tempos de se conversar, olhar, analisar. E tudo é tão fantástico!! Gostei do Texto. Fica aqui também o agradecimento pelos comentários no meu blog. Leia "A Obra da Luxúria Mais Bem Acabada" lá e depois me diga o que achou. Tem algum texto aqui do seu blog q vc me recomenda? : )

Ass; Matheus

Lidiane disse...

Oi, Jéssica. Apesar de não ter o hábito de comentar nos blogs, sempre que posso dou uma passada aqui, pra checar as novidades e me atualizar um poquinho, já que a gente só se encontra a cada edição do Caixa... Uma pena!
Então, até o próximo post!
Bjs!

Jen disse...

c eu estivesse aí eu ia passear contigo... hahaha... =]